Arquivo do mês: maio 2009

Fenômeno Susan Boyle perde programa de calouros no Reino Unido

Cantora foi superada pelo grupo de dança Diversity e ficou em segundo.
Ela apresentou música que a consagrou, ‘I dreamed a dream’.

Apesar das expectativas, Susan Boyle perdeu o ”Britain’s got talent” (Foto: Reprodução)

O mundo todo esperava, mas o público que votou na grande final do programa “Britain’s got talent” não quis: Susan Boyle, maior fenômeno recente da música britânica perdeu o prêmio principal para um grupo de dançarinos chamado Diversity.

A última etapa da atração aconteceu neste sábado (30), e Boyle deixou de faturar o prêmio de 100 mil libras (aproximadamente R$ 320 mil), e a oportunidade de se apresentar diante da rainha, durante o Royal Variety Show.

Ao saber da notícia, Boyle afirmou: “As melhores pessoas venceram. Desejo a vocês o melhor”. Questionada sobre seus planos, ela disse que quer lançar um disco. E encerrou: “Que jornada! Foi inacreditável e uma lição de humildade”.

Vestindo um elegante longo prateado –bem diferente do estilo simples apresentado na primeira etapa da da competição–, ela cantou a mesma música que a consagrou: “I dreamed a dream”, do musical “Les misérables” (assista ao vídeo da apresentação).

No fim da apresentação, disse que queria agradecer o apoio de todos, de sua cidade natal e também do público. “Foi uma semana de muita pressão para todos nós. Mas valeu muito a pena. Me sinto em casa no palco. Afinal, estou entre amigos”, afirmou Boyle.

Após o show, a escocesa foi aplaudida de pé tanto pelo público quanto pelo jurados, que a exemplo das outras apresentações, foram só elogios para a cantora. “Você foi o centro das atenções do mundo, saíram notícias negativas a seu respeito. Mas eu só conseguia pensar que, para responder aos críticos, você deveria subir neste palco e cantar a canção pela qual nos apaixonamos, ainda melhor do que na última vez”, afirmou Piers Morgan, um dos jurados. “Eu deveria ser imparcial, mas esqueça! Você é a melhor e deveria vencer essa competição.”

Conhecido como durão, Simon Cowell também apoiou a competidora. “Você tinha todo direito de sair do programa. Muita gente disse que você não deveria estar aqui. Ganhando ou perdendo, você voltou, enfrentou os críticos e os superou. Isso é o mais importante. O que quer que aconteça, você pode sair daqui de cabeça erguida.”

Diversity

Foto: Reprodução

O grupo Diversity venceu Susan Boyle no show de calouros (Foto: Reprodução)

O grupo de dançarinos que surpreendeu ao deixar Boyle em segundo conquistou o Reino Unido com uma dança cheia de acrobacias ao som de um mix de rap e dance music, com efeitos eletrônicos.

Muito aplaudido pelo público e também pelos jurados após o show (veja aqui), os integrantes afirmaram estarem muito satsifeitos por ter chegado tão longe na competição.

Os jurados, no entanto, se mostraram mais otimistas. Amanda Holden apostou na vitória do grupo, e Simon chegou a afirmar que lhes daria nota 10, definindo sua apresentação como “perfeita”.

Pronta para faturar

A escocesa de cabelo rebelde, não se parece em nada com uma estrela. É gordinha, de aparência melancólica e não tem o sorriso típico das celebridades. Mas sua voz de ouro a tornou uma das favoritas no “Britain’s got talent” e celebridade da internet. O vídeo da primeira apresentação da caloura no programa já ultrapassou a marca dos 60 milhões de acessos no YouTube.

Com um fã-clube de famosos, que inclui a atriz Demi Moore e a cantora Cyndi Lauper, Boyle ofuscou todos os outros candidatos. Especialistas na área de entretenimento afirmaram ao jornal “Telegraph” que o interesse do público por Boyle não deve diminuir com o fim do programa. Paul Pott, primeiro vencedor da atração em 2007, faturou quase cinco milhões de libras, e a cantora escocesa deve superá-lo facilmente.

Alguns grandes nomes da música já manifestaram vontade de gravar com Boyle. Elaine Paige, a heroína da competidora, e Andrew Lloyd Webber também consideraram parcerias com ela. Fontes da indústria fonográfica cogitam, no entanto, que a prioridade de Boyle é gravar um álbum para o selo Syco, de Simon Coweel, produtor e jurado do programa.

As apostas para o álbum são grandes, já que Boyle, ao contrário dos competidores anteriores do “Britain’s got talent”, ganhou fama internacional e sua vida vem sendo acompanhada dia-a-dia por paparazzi, jornalistas e pelo público do mundo todo. Sua simples aparição provoca tanto ou mais comoção do que sua música.

Mas até agora o sucesso não trouxe nenhum retorno financeiro para Boyle. “Pelo que podemos perceber, não acho que ela teve retorno financeiro algum, o que é uma vergonha”, explica Matt Fiorentino, porta-voz da Visible Measures, uma empresa de Massachusetts que acompanha os sucessos do YouTube.
“Nós contamos centenas de milhares de comentários sobre ela, e o público está ávido por um álbum. As pessoas realmente se apaixonaram por ela”, diz Fiorentino.
Segundo ele, a primeira performance de Boyle – quando ela surpreendeu os céticos jurados e a plateia com sua voz de anjo – foi perfeita para o YouTube. Se tornou o quinto vídeo mais visto de todos os tempos. “Ela tem a história perfeita para este tipo de mídia”, avalia Fiorentino. “As pessoas a julgaram pela aparência, e aí ela revelou essa voz fantástica e se tornou um sucesso.”

Vizinhança

Foto: Derek Blair/AFP

Vizinhos colocaram mensagens de apoio nas janelas das casas em Blackburn (Foto: Derek Blair/AFP)

A competição se tornou o único assunto em Blackburn, o pequeno vilarejo escocês onde Susan Boyle era uma cantora comum nas noites de karaokê do pub local. “Estamos todos torcendo por ela”, contou o gerente do pub Jackie Russel, antes da final do programa. “O melhor ainda está por vir”, apostou, certeiro.

Telões foram instalados no vilarejo e estava prevista uma festa no centro comunitário onde Susan era voluntária.

Fonte: G1

Deixe um comentário

Arquivado em Entretenimento, Música, Notícias

Na busca por emprego, Orkut pode ser a pedra no caminho

Ana Cláudia Maffra, diretora de RH da consultoria Equipe Certa, fala sobre como o funcionário deve se comportar na internet para não ter seu emprego ameaçado - foto: Luis Alvarenga / Extra

‘Eu trabalho com gente chata’, ‘Chefe saiu = MSN, Orkut’, ‘Eu faço sexo no trabalho’, ‘Eu durmo no trabalho’. Se você faz parte de comunidades como essas e está à procura de emprego, é bom mudar de estratégia. O perfil do site de relacionamentos Orkut informa muito sobre o comportamento e a personalidade dos candidatos e virou uma fonte preciosa de informação para os recrutadores.

No fim do ano passado, uma pesquisa do site internacional CareerBuilder.com, feita com 3.169 executivos da área de Recursos Humanos, mostrou que um em cada cinco empregadores investiga a vida dos candidatos em sites de relacionamento. E um terço desses ‘detetives’ descarta concorrentes com base naquilo que descobre.

– A tendência é a de que as empresas passem a fazer uma busca pelo nome do candidato na internet como um todo, não somente nas redes sociais – prevê a diretora da consultoria de RH Equipe Certa, Ana Carolina Maffra.

A tendência é a de que as empresas passem a fazer uma busca pelo nome do candidato na internet como um todo, não somente nas redes sociais


A consultora da empresa Ribeiro & Brito Solange Ribeiro alerta que, em muitos casos, o jovem acaba mostrando na rede uma pessoa que não é:

– Conheço uma menina que é inteligente e responsável no trabalho. Mas, no site, se mostra em fotos sensuais. É essa imagem que ela vai passar para quem não a conhece.

Ana Carolina sugere que o candidato se coloque no papel do recrutador e analise sua página com olho clínico:

– É preciso ter coerência. Não dá é para uma pessoa interessada numa vaga de informática participar de uma comunidade ‘Eu odeio tecnologia’.

As consultoras Solange Ribeiro e Irani de Souza usam o orkut como ferramenta de trabalho para investigar candidatos - foto: Luis Alvarenga / Extra

Reputação virtual é importante

Na década de 1960, o sociólogo canadense Marshall McLuhan afirmava que uma organização baseada nas mídias eletrônicas levaria ao surgimento de uma ‘aldeia global’. Hoje, os habitantes desse território virtual devem, mais do que nunca, ficar atentos ao velho conselho que os pais do interior dão para as filhas: ‘cuidado com a reputação!’.

A distinção radical entre os perfis online e a vida corporativa pode, sim, prejudicar não só aqueles que procuram emprego, mas também os que já estão no mercado de trabalho.

– O internauta tem que pensar em si como se fosse uma empresa e avaliar se determinada exposição vai ou não afetar sua imagem – sugere a diretora da consultoria de RH Equipe Certa, Ana Carolina Maffra.

Para alertar seus funcionários sobre a importância da reputação online, a empresa Media Factory ministra um curso de ‘etiqueta virtual’.

– Eles usam ferramentas como o Messenger para falar com clientes. Por isso, devem ter foto e nickname (apelido) respeitáveis – diz o presidente da empresa, Leandro Kenski.

Ele aconselha que candidatos e empregados procurem seus nomes no site de buscas e analisem a informação que aparece:

– Ser achado é importante. Mas é preciso saber em que circunstâncias.

Irani anuncia vagas de emprego em seu perfil pessoal

Se tem gente que perde um emprego devido à má avaliação de seu perfil num site de relacionamentos, outros candidatos veem na ferramenta a possibilidade de conseguir uma chance. Além de dizer a todos os amigos que está à procura de uma recolocação no mercado e pedir indicações, o desempregado deve ficar atento às oportunidades oferecidas em comunidades de RH.

A consultora da empresa de seleção Ribeiro & Brito Irani de Souza aderiu ao uso da tecnologia e, em dois meses, já selecionou seis candidatos que entraram em contato com ela e enviaram seus currículos por meio de seu perfil pessoal no Orkut:

– Eu divulgo as vagas na minha página, e isso vira uma corrente. Mesmo que a pessoa que veja a mensagem não se interesse pela vaga, ela pode falar sobre a seleção a amigos.

Irani se diverte ao lembrar do encontro com os ‘candidatos virtuais’ nas etapas de um processo seletivo:

– As pessoas ficam me olhando de um jeito diferente, como se me conhecessem. Fico me sentindo uma artista.

Anonimato

Profissionais conservadores, que relutam em aderir à internet e preferem se manter anônimos na rede, podem perder oportunidades.

– A empresa que não tem um site na internet não é conhecida. O mesmo acontece com os profissionais – afirma a diretora da consultoria de RH Equipe Certa, Ana Carolina Maffra.

Ela alerta que, em determinadas áreas, se não há informação na rede sobre o candidato, isso pode indicar que ele não é experiente ou reconhecido no meio:

– No caso de quem trabalha como webdesigner ou com artes e comunicação, por exemplo, é preciso que o recrutador encontre blogs e trabalhos publicados do candidato.

Fonte: Extra.globo

Deixe um comentário

Arquivado em Notícias

GM pode anunciar concordata antes de junho

Decisão pode ser anunciada antes da entrega do plano de reestruturação

GM pode declarar concordata antes da entrega do plano de recuperação econômica ao gorveno dos EUA

A situação da GM piora a cada dia. Correndo contra o tempo para se adequar ao rigoroso plano de reestruturação econômica, o grupo, segundo o jornal Washington Post, pode anunciar concordata antes mesmo da entrega do relatório de recuperação ao governo dos Estados Unidos, que estipulou o dia 1º de junho como data limite. Se for aprovado, a empresa receberá mais um empréstimo público bilionário.

Segundo a publicação, se a concordata realmente acontecer, as bandeiras Chevrolet, Buick e Cadillac serão transformadas em apenas uma marca. O restante das subsidiárias da GM seriam postas à venda, como já esta acontecendo com a divisão Opel/Vauxhall, para ajudar a quitar os débitos da empresa.

Na última semana a GM anunciou que fechará mais de 1 400 pontos de vendas nos EUA e Canadá, fato que a forçará a fabricante a recomprar mais de 70 000 carros.

Fonte: Carro Online

Deixe um comentário

Arquivado em Carro, Moto & Cia, Notícias

Michael Jackson revela mais detalhes de shows

Michael Jackson revela mais detalhes de shows

A temporada de 50 shows que Michael Jackson fará a partir de julho na Arena O2, em Londres, começa a tomar forma. O cantor convocou o diretor e coreógrafo Kenny Ortega, responsável pelo “High School Musical” para trabalhar em seus shows. Ortega já havia trabalhado com Jackson nas turnês “Dangerous” e “HIStory”. Ele também foi o responsável pela coreografia do filme “Dirty Dancing”, de 1987.

Em comunicado, Ortega disse que deseja criar uma “experiência teatral musical” nesses shows. Os shows do cantor certamente serão os mais caros de todos os tempos, de acordo com os organizadores da temporada londrina. Randy Phillips, da empresa AEG Live, revelou que o orçamento ultrapassa 20 milhões de dólares (41,39 milhões de dólares). Phillips também disse ao LA Times que haverá 22 cenários diferentes. “Será o maior e mais tecnologicamente avançado show de arena em todos os tempos. Será o mais caro também”, afirmou o produtor.

Há poucos meses, especulou-se que haveria animais em cena durante o show. Phillips desmentiu o boato. O filho de Jackson, Prince Michael, também não participará das apresentações. Segundo o produtor, Michael Jackson está fazendo exercícios aeróbicos rotineiramente com um personal trainer. Ele também confirmou que cada apresentação terá de 18 a 22 músicas, todas com coreografias especiais baseadas no Cirque du Soleil.

Temporada em risco

Ontem, advogados da AllGood Entertainment anunciaram que poderão acionar judicialmente Michael Jackson por quebra de contrato. Eles alegam que o cantor desrespeitou um contrato previamente assinado, no qual se comprometia a fazer shows com a sua antiga banda Jackson Five, bem como com a sua irmã Janet Jackson. Pelo contrato, o cantor estaria impedido de se apresentar sozinho até julho de 2010.

Segundo a AllGood Entertainment, Michael Jackson se apresentará ao lado de seus irmãos no dia 03 de julho de 2010, no Texas Stadium. A produtora disse que o cantor poderá ganhar até 30 milhões de dólares (62,08 milhões de reais) nesse único show.

Fonte: sidneyrezende.com

1 comentário

Arquivado em Entretenimento, Música